sábado, setembro 09, 2006

Bizarre



Todos os nomes têm uma fortuna e um símbolo, neste caso Bizarre é significativo quanto baste. No princípio foi o verbo e a vontade conjugada de alguns mortais que permitiu que tudo pudesse acontecer. O semelhante procura a sua sombra o que é adequado à obscuridade da temática e do ambiente. Neste caso a bendita catacumba situava-se em pleno coração olissiponense, a saber Praça do Chile. Sem santo ou senha os fieis e apaniguados acabaram por entrar, não propriamente no dantiano inferno, mas sim num império que por algumas noite foi o do desejo mais secreto ou exibicionista. Que julgue a consciência íntima, e ninguém será julgado.
Dores do crescimento a quanto obrigam, depois de um promissor começo as hostes perversas organizaram-se, afiaram propósitos e conceberam tortuosos esquemas. Rostos expressivos e indumentária a condizer, alguns mais tímidos, outros mais audazes, todos procuraram sacrificar com dignidade aos ignotos deuses do bdsm/bondage/fetichismo. Das recordações que ficam e dos suspiros que as paredes da masmorra conservaram, não falamos aqui, afinal sendo dominadores ou submissos convém que a imaginação permaneça livre.

1 comentário:

YO disse...

helllo!